Opinião

A verdadeira felicidade está na bola. Que coisa não?! Eis a bola

Autor: Thiago Rosa

Já dizem os mais especialistas brasileiros do popular futebolês: “O futebol é o ópio do povo”

Não existe nada mais “interessante” no momento do que assistir a jogos da copa. Os noticiários televisivos são cheios de manchetes com fofocas, de badulaques, de informações tão fúteis quanto o descaso com o resto das notícias que percorrem o mundo. Afinal, o que me interessa saber o que os craques do futebol comem, vestem, que eles vão pra balada ou não? O que acresce na minha vida?

É claro que o futebol é mágico, tem esta coisa viciosa que impregna a vida da sociedade. Espanta-me saber que a bolsa de valores, que a economia de determinado país cresce de acordo como andam os times ou seleções que representam o seu futebol. Mais incrível ainda é saber que a segunda-feira é motivo de preocupação nas empresas. Por incrível que pareça, o rendimento dos funcionários e, consecutivamente os lucros e produção de determinadas empresas, caem de acordo com derrotas de times que jogaram no domingo. Nossa!  Isso se chama a “máquina futebol”. Poderia ser chamado de vírus também, que quando ataca derruba mesmo.

E que derrubada! Se observarmos nos dias de jogos do Brasil, mesmo durante a semana e em horários bem comerciais, as ruas ficam vazias, os carros diminuem de circulação e o silêncio predomina. Exceto quando o grito de gol exalta e faz com que estilhaços de luzes se espalhem pelo céu ou trovoadas artificiais ecoem pelos ouvidos da comunidade com os rojões alegres e festivos.

Engraçado que a única loja que fica repleta de gente nestes momentos são as Casas Bahia. O povo fica tudo estacionado na frente das tevês, como se hipnotizados pelas cores do gramado colorido. E pior que a loja nem vende nada.

Acho que o nosso querido Chico, já prevendo o povo entretido nesta festa lúdica que o futebol traz, não poderia ter data mais abençoada para desencarnar. Justamente quando o Brasil levantava a taça em 2002 na Ásia, a notícia surgia de forma rápida nos jornais dominicais da noite. Pelo menos assim, o ópio do futebol envolto de momentânea felicidade, deixaria o povo entretido enquanto ele se desligava do nosso mundo terrestre e virtual coordenado pela bola.

Fala MEU! Edição 40, ano 2006
Palavras Relacionadas

Comentar

Clique aqui para comentar