Eventos

COMELESP 2008 + sala de jornalismo

Autor: Thiago Rosa

Pela vez no Fala Meu! conseguimos “vender” algumas páginas da sua edição.

Não estamos falando de nenhuma propaganda com algum produto para atrair determinado mercado. Estamos falando da “sala optativa de Jornalismo FM!” da COMELESP 2008 (Confraternização das Mocidades Espírita do Leste do Estado de SP).

A 31a edição do evento poderia ganhar um texto grande com matéria de capa e tudo mais, mas desde o ano anterior o Fala MEU! aparece no encontro para fazer do jovem uma espécie de “repórter por um dia”.

O que vocês veem agora nas duas últimas páginas são os textos, as matérias dos repórteres participantes que usaram suas criatividades para mostrarem a todos o que foi esta marcante COMELESP em suas vidas, nas vidas dos trabalhadores, dos monitores e diversos participantes que brotaram neste encontro de todo o leste do Estado paulista.

Aliás, com cerca de 200 jovens, o tema “ Amo, logo existo – Um ensaio para a felicidade”, foi na prática uma amostra de um trabalho empenhado pela união, pelo encontro dos mais velhos com os mais jovens, de monitores professores com participantes novos que aparecem a cada ano.

Momento super importante para a manutenção do movimento jovem que ganha cada vez mais trabalhadores e uma visualização da continuidade do movimento espírita como um todo no Leste, nas cidades e em todo o estado de São Paulo.

 

 

 

 

 

 

 

BOLESP – Boletim da COMELESP

Colaboraram: Everton Camargo, André Mohor, Douge William, Danilo Fitipaldi, Weldes Lincoln, Nicolas Reis, Carla Oliveira, Fabiana Santos, Arthur Hideki, Bruno Teixeira, Hanayza Silagi

 

Amo, logo existo! Um ensaio para a felicidade

Sala de jornalismo: Autor: Thiago Rosa

Depois de anos trancado no armário, resolvemos ressuscitar o BOLESP, o Boletim da COMELESP. Com cerca de 11 participantes, a sala de jornalismo ficou responsável pela cobertura de todo o evento em 2008, envolvendo todos os fatos, as críticas, os monitores, os trabalhadores, os bastidores e todos os envolvidos neste evento marcante •em sua 31o edição. Acompanhem e sintam saudades de mais uma COMELESP de nossas vidas.

 

 

 

 

 

Um encontro de jovens

Autores: Nicolas Reis, Hamayza Silagi

Foi realizado uma pesquisa de campo para que saibamos sobre o interesse do jovem ao vir para um evento de três dias dentro de uma escola como a COMELESP.

Esse evento é realizado uma vez por ano e sempre na Páscoa. Essa confraternização é muito aconchegante e curiosa. Em várias entrevistas muitos participantes alegam que, a ideia de aprender ao mesmo tempo que se faz amizades é fantástica.

E 50% dos entrevistados são ou já foram monitores desse evento; alguns já estiveram em sete edições desse evento; outros duas vezes; para um outro punhado, esta é a primeira vez que participam. Segundo os participantes, a COMELESP é muito produtiva e inovadora, pois os monitores sempre superam as expectativas e os participantes sempre contribuem com novas ideias.

Uma pena que o número de jovens esteja caindo nos últimos anos. Por exemplo, em edições passadas o número de participantes chegava quase  500. Nesta, cerca de 200 jovens estiveram prestigiando a 31“ edição.

Gostaria de frisar aos leitores que é muito importante a divulgação do evento como este e das mocidades que ajudam a construir todo este encontro. Você que está lendo esta matéria, convide seus amigos para participarem de uma mocidade, pois o futuro do movimento espírita está nos jovens e, se não os cultivarmos, esse evento maravilhoso pode se perder.

Afinal, é em confraternizações como esta que encontramos respostas, sentimentos verdadeiros, pequenas coisas que preenchem o nosso coração cada vez mais.

A COMELESP é vista como um outro mundo. Um lugar onde não há preconceito, críticas, julgamentos. Aqui, podemos ser sem temer. Dúvidas são esclarecidas, assuntos novos são apresentados, enfim, é um novo mundo que cada ano descobrimos um cantinho dele.

 

Jovens: Sinônimo de integração

Autores: Fabiana Santos, Arthur Hideki, Bruno Teixeira – Colaborou: Márcio Polli

COMELESP é um encontro que acontece desde 1971 e é realizado em cidades do Leste do Estado de São Paulo durante a semana santa, com duração de três dias.  Organizado pelas Regionais, sendo este ano pela Regional São Paulo e pela Distrital Freguesia do Ó, sempre a partir das mocidades.

Os recursos são arrecadados através das inscrições feitas pelos jovens e são recolhidas também doações de Casas Espíritas, Supermercados, Instituições e Eventos, todos feitos pelos jovens com o apoio da Regional representante.

Os trabalhadores são selecionados de acordo com o perfil que apresentam, e conhecimentos básicos da doutrina, sendo que qualquer jovem com boa vontade pode trabalhar no evento. Exemplo: para ser monitor é necessário gostar de ler, estudar, ter postura, etc.

O temário é escolhido pelas mocidades na primeira prévia e estudado nas duas outras seguintes; essas prévias são eventos menores que antecedem ao evento visando uma melhor organização e planejamento durante o próprio encontro.

A finalidade do encontro é passar a Doutrina Espírita, construir novas amizades entre os jovens e a busca constante de integração da parte doutrinária e conhecimento de novas formas e aplicação de estudo.

 

Como Funciona…

Autores: André Mohor, Carla Oliveira

Eduardo e Lúcio, dois dos responsáveis pela organização da 31“ COMELESP 2008 discutem detalhes sobre a escolha da estrutura física e cronograma de horários junto com as demais atividades a serem aplicadas. Através  de reuniões internas, pelo Departamento de Mocidades da USE Distrital Lapa e Freguesia do Ó, começam a montar equipes dividindo-as em  vários grupos, e montam o planejamento prévio que é apresentado aos representantes do Departamento de Mocidades da USE Regional São Paulo.

Relatam que com a organização e divisão de tarefas, jovens e mocidades da região empolgaram-se com o trabalho a ser realizado, porém, que foi preciso muita disciplina e dedicação para realizar um evento de grande porte como este.

Para Guilherme, 22, da cidade de Santos a escola foi de fácil acesso, os alojamentos para dormir estavam bem distribuídos, a divisão na hora do banho foi bem interessante. Havia poucas quantidades de chuveiros, porém os cardápios foram bem elaborados e não faltou nada. As atividades esportivas tinham um espaço amplo, s não tinha a apresentação das letras das músicas na hora em que o grupo foi tocar, já que nem todos conheciam.

Outros fatos que aconteceram durante o evento foi com relação ao cardápio: a mistura não estava muito boa, diz Felipe, 16, de São Paulo. JÆ para Daiane, da Freguesia do , a grande variedade de frutas, verduras e legumes não satisfez totalmente: acho que poderia ter mais carne. Opiniões que contradizem o grande público. Conforme avaliação dos participantes, a comida foi considerada pela maioria entre boa e ótima.

Por fim, os trabalhadores do evento acham que atingiram os seus objetivos, dizem que foi gratificante, porém trabalhoso e que com a realização deste evento conseguiram empolgar os jovens participantes das mocidades da região.

 

Movimento jovem mostra sua força na COMELESP

Autores: Everton Camargo, Weldes Lincoln

Nossa equipe de reportagem conseguiu fazer toda a cobertura do evento. Nossa missão foi conversar com o pessoal da monitoria. Neste evento teve um incidente polêmico, que foi o módulo de abertura com uma dinâmica muito estranha para os participantes.

Dinâmica esta onde os monitores se comportaram de forma autoritária e petulante na tentativa de nos ensinar a amar e a ser felizes, tirando assim todo o poder ativo do aluno.

Já na segunda parte a dinâmica foi explicada e a COMELESP voltou ao clima marcante de sempre.

Conversamos com os monitores a respeito disso e eles nos explicaram como funciona a escolha do tema, e como é a preparação para monitorarem o evento. Para a escolha do temário são expostos as propostas que serão votadas pelos representantes de mocidade. Durante a preparação os monitores estudam, se encontram, discutem o tema, procuram as bibliografias e elaboram as dinâmicas. O grupo deste ano decidiu que a dinâmica dos professores tradicionais seria a que causaria maior impacto. Durante nossa conversa surgiram também outros assuntos como a evasão dos jovens das casas espíritas. Alguns afirmaram que essa fuga Ø motivada pelo desinteresse do jovem e a falta de perspectiva que assola a sociedade contemporânea.

Mas o evento mostrou a sua fora. Os três dias foram super-legais e o objetivo de reunir jovens, realizar toda esta confraternização, foi muito bem alcançada com a aplicação deste tema tão bem discutido.

 

Trabalhar o amor sobre todas as vertentes

Autores: Douge William, Danilo Fitipaldi

O amor é o objetivo, o caminho e o meio, diz Roberto G Carvalho, 29, um dos colaboradores do grupo de monitores referente ao tema da COMELESP em 2008: Amo, logo existo! Um ensaio para a Felicidade.

O tema deste ano vem sendo estudado há três anos por Daniel Doretto e Leandro Piazzon, respectivamente coordenador do grupo de monitores e trabalhador do evento. Eu tendia para um lado filosófico, já o Daniel procurou um lado mais prático, declara Piazzon.

O temário foi apresentado por Doretto na primeira prévia do evento e escolhido através de votos pela grande maioria das mocidades.

O assunto é de grande ajuda espiritual para os jovens, diz Danilo Joenck, 20, participante. Ainda complementa dizendo que o tema é uma boa escolha, pois merece ser discutido pela importância de trabalhar o amor entre os jovens. Já Carlos Eduardo Dias, 25, participante, comenta acho poético, foi uma boa escolha, os monitores estão coerentes mas não gostei da primeira dinâmica, não consegui ver nenhuma relação com o estudo. Opinião também igual de outra jovem participante Samira S. Santos, 13.

Apesar de alguns jovens terem se incomodado com o primeiro módulo do estudo (dinâmica), o tema foi bem aceito. Trabalhar o amor sobre todas as vertentes, como afirmou Piazzon e outros participantes.

Fala MEU! Edição 61, ano 2008

Comentar

Clique aqui para comentar