Arquivo Histórico

Estreia do programa Juventude Maior, no rádio

Autor: Thiago Rosa

Uma tarde de quarta-feira bem do jeito de março e bastante ensolarada. Nada mal não!? Aliás, um dia bem propício para reencontrar velhos amigos.

Foi assim que marquei um encontro com Franklin. De sobrenome que me faz lembrar sempre um personagem antigo de desenho animado, Felix, ficamos a papear na praça de alimentação em um shopping de São Paulo.

Botar as conversas em dia e contar todas as novidades seria só uma desculpa. Meu propósito na verdade era outro. Domingos antes tinha ouvido ecoar pela minha casa, por volta das 15 horas, aquela voz bem conhecida falando com tanta espontaneidade.

Minha mãe logo destacou a surpresa: “É o Franklin!”.

E não é que era mesmo. Fiquei muito feliz com o programa e com ele ali papeando com os ouvintes, inclusive comigo. Mais surpreso e feliz foi quando ouvi o nome do programa: “Juventude Maior”. E que felizmente também passa todos os domingos das 15 às 16 horas na Rede Boa Nova de Rádio. Acho que faltava isso pra juventude, seja ela espírita ou não. E foi assim que, sabendo deste causo, fui conversar com meu amigo Franklin.

Ele me contou que o programa inicialmente se chamaria ou envolveria o nome sexualidade, onde seria proposto falar sobre afetividade, sexualidade, relações humanas e assuntos em torno destes que envolvessem o jovem.

Existe a preocupação com o desregramento da juventude. Assim que propomos ao Jether, diretor da rádio, ele logo concordou com a ideia e quis conhecer a equipe que eu tinha colocado no papel, onde se encaixava a Dani e a Michele. Foi na discussão sobre o formato do programa que resolvemos falar no ar de todo universo jovem”, comentou Felix.

Depois que escolheram o horário, cabia achar um nome que tivesse alguma ligação com a idéia proposta: “Foi aí que a mãe da Dani teve um sonho, onde o mentor da Mocidade Jovens Presentes, a qual fazemos parte no centro Meimei na Vila Curuçá, orientou para que o programa se chamasse Juventude Maior”.

A abertura do programa é com uma música muito conhecida dos jovens que viveram os anos 80. “Get Along Gang”, do desenho animado Nossa Turma, ganhou entre outras duas opções: “Os jovens que trabalhavam na rádio gostaram da música porque lembravam dela de quando eram crianças. Foram eles que escolheram e acharam mais legal. E ficou bem legal mesmo”, concluiu Felix em tom de entusiasmo.

A grande intenção do programa é atingir o público jovem. Como a Boa Nova é uma rádio que tem o público, em sua maioria, adulto, são estes que costumam participar mais. A intenção e a forma como é produzido o programa é para alcançar os jovens de todo Brasil.

Felix ainda comenta que sua rotina deu uma boa acelerada. “Sou formado em psicologia e tenho que conciliar o meu trabalho na instituição pública, o consultório onde atendo meus pacientes, a Mocidade e a Rádio. Tenho que me fazer presente onde sempre estive”.

Ele ainda comenta que a juventude hoje não consegue lidar com a liberdade e confundem muito com libertinagem: “As pessoas tem que saber aproveitar com responsabilidade o que o mundo oferece de bom. Os jovens precisam saber compreender a vida da melhor forma possível e, o grupo de jovens, as mocidades, são bálsamos que mostram formas de a juventude ter prazer na vida sem se envolver com atividades ilícitas”.

E ainda conclui: “Hoje não existem programas de entretenimento que não fale de sexo. E o meio espírita precisa de mecanismos mais atrativos para atrair o jovem para o seu lado sem forçá-lo”.

Os ouvintes podem participar do programa Juventude Maior ao vivo. Basta sintonizar na Rede Boa Nova de Rádio (1450AM) todos os domingos das 15 às 16 horas e chamar no 0800995011. Você também pode escrever e-mail para rede@radioboanova.com.br. Se quiser conversar com o Franklin Felix, escreva para franklin.felix@terra.com.br. Não perca!

Fala MEU! Edição 37, ano 2006