Conscientização

Necessidade e importância do voto

Autor: Thiago Rosa

Mais um período de eleição está para chegar. Este ano votamos para escolher o presidente da república, deputado federal, senador, governador e deputado estadual. São cinco candidatos a escolher, mas em quem votar?  A resposta parece fácil.

Vote pelos seus interesses, pelas coisas que são importantes para você neste momento. Se para você é importante a educação, vote nas pessoas que tem um bom programa voltado para educação. Segurança é o que ta pegando? Vote naqueles que tem uma proposta concreta de segurança. Não aguenta mais tantas tachas e impostos? Com certeza aparecerá algum candidato prometendo eliminar tais cobranças, baixar os juros, etc.

Mas é tanta gente, como escolher?

Algumas coisas importantes que ninguém faz: assistir horário político e procurar o candidato em sua sede para conhecer melhor as suas propostas. Até parece que somos alto-suficientes em política, ou médiuns videntes para saber as respostas certas.

Que mais não fazemos? Não pesquisamos o passado daqueles que estão buscando a reeleição. Você nunca achou engraçado o fato de que muitas coisas estão ruins há muito tempo em nosso país como saúde, segurança, educação, transporte e ao mesmo tempo existirem parlamentares que estão lá há anos? Você nunca se perguntou o que eles fizeram neste tempo todo?

Talvez uma boa proposta seja renovar as pessoas que lá estão. Mas existe ainda um outro fator: de qual partido?

Se formos levar em conta todo o rolo do mensalão e correios –  que ainda está rolando… e  nos enrolando – somos  obrigados a não escolher candidatos dos partidos da situação. Mas eis que, de repente, não mais que de repente, como que caído do céu, surge a máfia dos sangue-sugas (aquela das ambulâncias), no qual estão envolvidos parlamentares dos partidos de oposição. E agora? A resposta novamente é fácil. Vou escolher alguém de centro. Só que os partidos que se dizem de “centro” ora apoiam o lado de lá, ora apoia o lado de cá, conforme conveniência. Dá vontade de não votar em ninguém, uma vez que para todo lado que se olha, sempre tem alguém comprometido.

É, não parece tão fácil assim votar.

Com certeza, vote naquele que melhor apresenta propostas que vão de acordo com as suas convicções e necessidades. Procure sim, saber mais a respeito de seus candidatos, sejam eles novos ou os que tentam uma reeleição.

Acredite, podemos melhorar o país em que vivemos. Ele não está pior do que ontem. As coisas simplesmente estão sendo descobertas e mostradas, o que não acontecia antes.

Lembre-se: votar é importante. Faz-nos membros ativos da sociedade. Não votar é não acreditar no ser humano, em você mesmo.

Fala MEU! Edição 40, ano 2006