Entrevistas

Rodrigo Néris almoça com a Fala MEU!

Autor: Rodrigo Prado

Artista, professor de educação artística na rede pública, morador de Santana do Parnaíba e atual Diretor do DM (Departamento de Mocidade) – USE (União das Sociedades Espíritas) Estadual. Rodrigo Néris fala:

“Alteridade” e o jovem espírita…

Não só como jovem espírita, mas como jovem. Este tem vivido melhor com a diferença, até pelo fato dele vivenciar isso na prática. Agora, não é necessário usar o rótulo espírita para valorizar e diferenciar o trabalho. Nossa responsabilidade não é só por ser espírita, mas pelo conhecimento adquirido que favorece e amplia os seus horizontes. O conhecimento, indiferente se é espírita ou não, é o que faz a diferença.

Diretor do DM e realidade vivenciada em outros órgãos e mocidades…

São maravilhosas as diferenças. Toda vez que se tenta padronizar, alguém sempre fica de fora. A soma destas diferenças forma um todo que tem um pouco da singularidade de cada grupo e sua região. Se eu tiver uma cartilha de mocidade espírita, que mostrasse regras de como fazer, pra mim ia ser a pior coisa do mundo. Viva a diversidade!

Jovem espírita e sua contribuição na casa espírita, no movimento espírita…

Quando o jovem começar a conviver com as diferenças e se permitirem a isso, verão que as dificuldades que encontra no centro e no movimento, podem servir de lição, de aproveitamento. São oportunidades que aprendemos com elas. Não podemos esperar um do outro uma ação, mas sim, fazer.

Artista e a arte contribuindo na vida das pessoas…

Através da arte pode se desenvolver a sensibilidade, seja a música, pintura, artes plásticas, teatro, etc. Não há feio ou bonito, há simplesmente beleza. Para isso é preciso tentar perceber o que uma obra quer passar, descobrindo o que não está tão claro às vezes, assim como na vida. A única disciplina que está próxima do ser humano é a arte. Se estamos pensando em uma sociedade diferente, maior sensibilidade, percepção, observação… podemos achar isso tudo na arte. Isso faz com que as pessoas tenham um maior senso crítico. O que aquilo que eu estou vendo responde pra mim? O que significa? O que me fala? A arte faz com que nos mantenhamos vivos, faz nos conectar com Deus, com a Vida!

Maior desafio para o diretor do DM…

Primeiro é vivenciarmos um grupo maravilhoso, no qual ainda ninguém tem esta percepção do tanto que podemos fazer. Depois promover a diferença. Celebrar as diferenças de cada região, onde cada uma aprende com a diferença do outro. Valorizando as experiências de vida.

Fala MEU! Edição 49, ano 2007