Assuntos Diversos

Toque de recolher

Autor: Joelson Pessoa

A severidade das leis penais não é uma necessidade no estado atual da sociedade?

R: Uma sociedade corrompida tem certamente necessidade de leis mais severas; infelizmente essas leis se destinam mais a punir o mal praticado, do que cortar-lhe a raiz. Apenas a educação pode reformar os homens que assim não terão necessidades de leis tão severas. (Questão 796 de O Livro dos Espíritos)

Nos últimos dias os veículos de comunicação (mídia escrita e falada) têm dado ênfase aos municípios brasileiros que, perante a crescente evasão escolar e equivalente aumento da marginalidade entre menores de idade, decidiram por decretar o ‘toque de recolher’ para os menores de idade. Decisão polêmica? Nem tanto.

No Estado Paulista já são pelo menos sete municípios a colher dos benefícios desta portaria: Fernandópolis, Mirassol, Macedônia, Pedranópolis, Itapura, Meridiano e Ilha Solteira. São as pequenas cidades dando o exemplo às maiores.

Todos nós sabemos que quaisquer grupinhos de adolescentes, que ficam nas ruas, desocupados, estão muito próximos do álcool, das drogas, das relações sexuais descartáveis, etc.

O linguajar do indivíduo sofre uma metamorfose empobrecedora, além de copiar da rua, gestos e trejeitos agressivos ou vulgares.

Vadiagem vicia, causa dependência, mormente se o Espírito encarnado sente atração pelas “coisas erradas”.

Por onde começou a viciar-se, milhares ou talvez milhões de jovens brasileiros?

Não duvidamos que grande parte depara-se e experimenta as tentações em turminhas de desocupados, nas ruas, descobertos dos olhares de pais, professores e autoridades.

Dessa forma, os juízes que tiveram a boa ousadia de estabelecer o toque de recolher estão tomando uma medida saudável para a sociedade, objetivando prevenir que mais e mais adolescentes imaturos que, semelhante a piolhos, vão pelas cabeças dos outros, se convertam em novos viciados, delinquentes e criminosos.

Alguns Espíritos já anunciaram* que um imenso trabalho de saneamento espiritual está sendo executado nas paisagens do plano espiritual inferior, parte desta medida inclui o reencarne (muitas vezes compulsório) de Espíritos levianos e perturbados. Nascem em famílias que se comprometeram a restaurar-lhes o caráter, tudo fazendo para mantê-los no caminho honesto.

Diversos pais fraquejam ante a prova e os filhos, indóceis, obstinam-se nos velhos costumes da conversa imoral, no emprego fútil da sexualidade, nas falsas alegrias da embriaguez.

Adolescentes com certas tendências realmente não podem ficar à toa pelo mundo, a violência envolvendo menores, tais como espancamentos, depredações, furtos e assaltos parece aumentar em todas as cidades e, algumas autoridades, atentas ao grave problema, tomaram medida enérgica, mas proveitosa, impondo um horário para que os jovens estejam dentro de suas casas, recolhendo das ruas, bares e lan houses aqueles mais desobedientes e entregando-os aos seus lares. Havendo reincidência os pais serão advertidos e em casos mais graves, poderão perder a guarda dos filhos.

O blogdoacreucho.blogspot.com propõe as seguintes questões para reflexão:

1 – O que estará fazendo perambulando pela rua após as oito horas da noite, uma criança entre dez e doze anos de idade?

2 – Que planos terá um jovem de treze ou quatorze anos vagueando pela rua depois das dez horas da noite?

3 – Com que objetivo estarão pelas esquinas, pelos bares e pelas ruas, jovens com até dezoito anos de idade, depois das onze horas da noite?

Na cidade de Sapé (PB), a juíza da infância e juventude Maia Aparecida Sarmento, baixou a portaria que determina o toque de recolher para proteger os menores contra os perigos do abuso e da exploração sexual que estava infelicitando dezenas de jovens, adolescentes e até mesmo crianças naquela cidade.

Na cidade de Fernandópolis, interior do Estado de S. Paulo onde o toque de recolher foi imposto há 4 anos pelo juiz da infância e juventude, Evandro Pelarin, o índice de infrações (menor não comete crime) e reclamações do conselho tutelar do menor caiu cerca de 80%.

Por isso a enérgica medida promete mais vantagens que desvantagens. As pessoas de bem, que trabalham, estudam, além de outras atividades, não se sentirão prejudicadas, ao contrário, quando transitarem pelas ruas, à noite, não esbarrarão com tantos desocupados à beira da marginalidade.

São excelentes demonstração de que a medida é preventiva, o que indica um avanço moral da nossa sociedade, conforme esclareceram os Espíritos à Kardec (nota de apoio acima).

Muito melhor ter uma fração da liberdade controlada, a depararmo-nos com crianças “nóias” nas esquinas escuras, adolescentes suspeitos ou arruaceiros embriagados. Melhor ver um jovem rebelde trazido ao lar pela polícia e receber uma advertência, a ter de irmos, no futuro, numa delegacia ou penitenciária visitar o nosso jovem que fora detido por prostituição, furto, assassinato ou tráfico de drogas.

Todo bandido já foi um dia uma criança inocente, que mamou graciosamente nos seios de sua mãe. Em que momento de sua vida houve o desvio? Sua índole para o mal era assim tão irresistível? Ou será que faltaram certos cuidados?

Na dúvida, é melhor não arriscar o futuro dessa juventude, cuja boa parte, ainda não se encontrou. Excesso de liberdade, para quem não está apto a fazer bom uso dela, é instrumento perigoso.

A faca é um utensílio de cozinha, nas mãos de nossas mães, garante diversas comodidades. O mesmo objeto, nas mãos de um revoltado, converte-se em arma de morte.

Estimado leitor, leve essa discussão ao seu grupo de estudos. Um espírita esclarecido é mais que mero religioso, é um homem de bem comprometido com as questões da sua comunidade.

Para saber mais:

*LIBERTAÇÃO – Espírito André Luiz médium Chico Xavier;

Sexo e Obsessão – Espírito Manuel P. Miranda – médium Divaldo Franco

Fala MEU! Edição 75, ano 2009
Palavras Relacionadas

Comentar

Clique aqui para comentar