Opinião

Transformar o mundo em quê?

Autor: Glauco Nepomuceno

Durante muito tempo queria transformar o mundo que vivemos no “paraíso” (que eu julgava perfeito).

Nunca me contentei em apenas refletir sobre meus ideais e tentava constantemente encontrar meios para alcançá-los no campo prático da vida. Num primeiro momento acabei por descobrir que essa minha vontade não era tão somente coisa de criança e que muitos adultos também estavam empenhados na construção tangível de um mundo melhor.

Percebi que muitos desses homens obtiveram resultados positivos em sua luta por um mundo melhor e outros não. Questionando-me sobre o porquê dessa diferença cheguei recentemente a uma descoberta surpreendente acerca da eficácia dos caminhos existentes para a transformação benéfica do nosso planeta.

Durante muitos anos cai no erro de acreditar que para melhorar o mundo em proporções consideráveis precisamos basicamente focar a transformação do sistema. E por isso perdi muito tempo procurando encontrar um sistema ideal para reger com equilíbrio todas as relações humanas.

Refletia constantemente sobre Capitalismo, Socialismo, Anarquismo, Cooperativismo, Democracias, Parlamentos, Aristocracia, Monarquia… Sem perceber um detalhe importante.

Se o mundo estivesse transformado e pronto exatamente do jeito que você o idealiza; com inúmeras construções magníficas, com o sistema econômico ideal, com uma política perfeita; e todos os bônus que você possa imaginar. Eu te pergunto: Quem de nós estaria pronto para viver nesse “paraíso”?

Eu? Você? Diga-me! Quantos de nós estaríamos preparados para assumir com alegria e competência as responsabilidades, direitos e deveres que uma sociedade tão avançada assim exigiria de nós?

Meus amigos leitores… Se o ser humano estivesse pronto para uma sociedade assim, Roma com todos os seus defeitos e sistemas primitivos já teria com toda certeza dado certo e o mundo talvez tivesse visto ao invés da decadência de um grande império a ascensão da civilização mais bem preparada de todos os tempos.

Mesmo que peguemos o melhor sistema de todos… Um que tenha sido idealizado pelo próprio DEUS, e o utilizemos em nosso mundo. Se o homem não estiver preparado para ele, ele (o sistema) naturalmente sofrerá as mudanças necessárias e irá se adaptar aos vícios e limitações humanas.

Mudar o sistema não será e não é a causa de uma transformação consistente e benéfica em nosso planeta. O sistema existe em função do homem e por consequência ele é o efeito e não a causa de nossos problemas. O que importa é o homem! Não é o sistema, mas sim o Homem a causa dos seus males e a solução de seus problemas!

De nada adianta debater sobre avançados sistemas políticos, econômicos e sociais… Se não nos preocuparmos com o enriquecimento e preparo daqueles que estão ao nosso lado.

Se ignorarmos essa máxima muitos de nós irá beirar ao mau exemplo de Hitler e terá que matar bilhares de “despreparados” para peneirar a raça ariana (perfeita) da sociedade.

Homens Hipócritas!!! Quantos de nós na tentativa de defender um sistema (mesmo que bom), não excluímos tantos outros nos esquecendo da fraternidade e do respeito que devemos ter para com o próximo, virtudes essas tão bem explicitas na frase de Volteire “Não concordo com o que dizes, mas defenderei até a morte o teu direito de dizer o que pensas”.

Ah, homens hipócritas! Lembrem-se de que se não educarmos a nós mesmos para o despertar de nossas excelências e potencialidades interiores, nem mesmo nós estaremos preparados para adentrarmos no mundo que tanto idealizamos.

Só através do preparo do homem que o mundo se tornará um lugar melhor de se viver, pois o homem, por mais que tente negar, é a causa dos seus males e a solução de seus problemas!!!

Fala MEU! Edição 63, ano 2008
Palavras Relacionadas

Comentar

Clique aqui para comentar